A Carta de um Ex-Ninguém || Reflexão

14:00 Ruan Majesa 0 Comments


Olá, bem vindo a carta de um ex-ninguém, acomode-se, escolha um lugar quieto, fique sozinho e leia com atenção, porque essa carta foi escrita para você "Zê Ninguém", para você "Qualquer um", para você que "Não faz a menor diferença", para todos os "Insignificantes" e para todos que "Não servem pra nada". Pois bem, meu nome é Ex-Ninguém e tenho um enorme prazer em te conhecer, vou te contar um pouco da minha história.

Tudo começou a aproximadamente 19 anos atrás quando ainda estava no ventre de uma mulher, lá eu não tinha emoções, não tinha preocupações e muito menos problemas, lá eu estava protegido, e foi lá que eu ganhei meus primeiros nomes, no começo era chamado de Feto, mas eu tive um apelido nesse momento, muitos me chamavam de "Bebê", mas foi quando alguém descobriu meus órgãos genitais que decidiram me chamar de "Macho", apelidado de "Menino" porque é mais bonitinho, ali eu continuava sem saber de nada, muito menos quem eu era, afinal eu não tinha consciência nem da minha existência.

Então começaram uma disputa de como iriam me chamar, qual nome eu teria, que sobrenome uniriam ao meu e até como meu nome seria escrito, e decidiram então me chamar de Ruan, foi quando nasci que me registraram com esse nome e com várias informações que pareciam me transformar em alguém, em um ser humano. 

Então eu fui crescendo aprendi a falar, a me comunicar com outras pessoas, aprendi o que era certo e o que era errado a luz da sociedade, fui inserido em uma cultura e uma comunidade a qual deveria ter que seguir e me adaptar. Então comecei a frequentar a escola para aprender diversas coisas que decidiram que era necessário que eu aprendesse, eu fui matriculado como "Mais Um", e fui chamado de Aluno, ali eu recebi mais um novo nome ou um título como você desejar, eu me chamava o "Estudante Ruan".

Então uma busca começava a ser feita sobre o que ou quem eu queria ser no futuro, o que gostaria de fazer, em que eu queria trabalhar, mas afinal o que era trabalho? Eu nem sabia direito o que significava trabalhar, até que fui aprendendo que pra ser alguém inserido nessa sociedade eu precisava ter um trabalho, pois só assim eu conseguiria me encaixar, porque se assim eu não fizesse eu seria chamado de mendigo e moraria provavelmente nas ruas onde meu real nome seria esquecido e ninguém se importaria com minha existência. Então comecei a sonhar com diversas profissões, uma buscar por ser alguém, afinal tudo que ouvia é que se eu quisesse ser alguém na vida eu tinha que estudar e me formar em alguma universidade que me transformaria em um Profissional, mas um título que eu ganharia, esse era tipo o Next Level, o próximo nível depois de Estudante.

Nesse trajeto, eu ganhei uma Identidade (RG) que numerava a minha existência e a que país eu pertencia, um CPF que me cadastrava como mais uma pessoa com direitos. Mas mesmo com tudo isso eu ainda era apenas um "Ninguém", eu não tinha profissão, eu não tinha estilo, eu não tinha me relacionado portanto eu não poderia nem ser chamado de homem ainda. 

A todo momento eu era uma embalagem sem nenhum rótulo, mas existia um conteúdo dentro de mim, só que eu ainda não tinha o descoberto. Mas então outras embalagens, outras pessoas, começaram a dizer quem eu era, o que eu era, qual sonho eu deveria ter, como eu deveria viver. E me encheram de rótolos e mais rótolos, simplesmente vinham com suas mãos e colavam rótolos em mim, até que chegou o momento em que olhei para o espelho e havia tantos rótulos em mim que não havia mais nenhum espaço para que eu pudesse olhar para o conteúdo que tinha dentro dessa embalagem, não conseguia mais olhar para o que havia dentro de mim, e com todos aqueles rótulos eu comecei a tentar ser algumas coisas das que estavam coladas em minha embalagem.

E então coloquei dentro de mim um pouco de cada, fiz uma mistura de todas as coisas que me eram rotuladas, fiz o que me mandavam, sonhei o que me impulsionavam, brinquei com os brinquedos que diziam que eram os melhores, estudei para ser um profissional da profissão onde eu teria mais prestigio e fama. 
Eu fiz tudo, mas não ainda eu não era ninguém. 

Eu era a conjunção de outros seres, eu era a força da vida corrompida pelos desejos de terceiros, eu era a dúvida, eu era a incerteza, eu não sabia por que estava no mundo e muito menos qual era a minha diferença nele. Eu só sabia o meu nome e qual título me davam, eu sabia o que preencher em fichas de universidades, eu sabia o que por no currículo, eu sabia o que minha forma física dizia que eu era. Uma embalagem, com diversos rótulos, mas com um conteúdo desconhecido, afinal ninguém queria provar de mim, ninguém estava interessado em saber qual era o sabor daquilo que havia dentro de mim, não se importavam com qual cheiro tinha, na verdade ninguém se importa com ninguém.

Mas eu cheguei até aqui para dizer que eu encontrei alguém que quis olhar para mim, eu encontrei alguém que quis ver o que havia dentro da minha embalagem, alguém que não se importou com os rótulos que eu tinha por fora e nem com tudo que eu tinha consumido para tentar achar quem eu era, esse cara sabia o que tinha dentro de mim antes que eu me formasse no ventre da minha mãe. Ele já havia me conhecido antes de eu mesmo me conhecer, ele sabia cada detalhe do meu ser, cada detalhe.

Ele me ajudou a trilhar um caminho de descoberta, ele me mostrou a verdade que me libertou para ser quem eu realmente era, porque era com essa pessoa real que Ele se importava. Ele não ligava para o que diziam, não ligava para as minhas falhas e o mal estado em que se encontrava a minha embalagem, mesmo amassada, mesmo suja, mesmo com diversos rótulos colados, ele decidiu me comprar, mas não como alguém compra uma posse, ele decidiu comprar minha liberdade, ele pagou com preço de sangue o direito de eu ser quem eu nasci para ser.


Ele comprou meu direito de ser seu Filho, o direito de um plebeu se unir a realeza, de um escravo desse mundo corrompido encontrar a liberdade e ser adotado como filho do rei ganhando todo privilégio de príncipe. Eu não fiz nada para merecer, mas ele se importou comigo quando ninguém se importou, Ele me libertou e hoje eu não sou uma embalagem, eu sou a pura essência viva, eu sou o vento que sopra e ninguém sabe para onde vai nem de onde ele vem, eu sou a luz que emana no meio das trevas, eu sou o embaixador de um reino eterno, ha cara eu sou eterno. JESUS me fez livre dos rótolos, ele me fez livre dessa vida e dessa morte, cara ele me fez livre da própria religiosidade, me fez livre de todos os meios de escravidão, Jesus me fez ser EU, porque é em mim que Ele sempre esteve interessado é comigo que ele sempre quis um relacionamento.

Hoje ele quer o mesmo com você, ou melhor ele quer algo totalmente diferente com você, porque você é único, porque você não é igual a mim, se você se sente um ninguém, se você se sente uma embalagem cheia de rótolos sem saber quem de fato é, eu te digo: SEJA LIVRE! Cristo comprou sua liberdade aceite, eu sei que muitos mesmo depois de terem o direito de liberdade preferem continuar cativos porque acham que cativos pelo menos tem alguma coisa e que a liberdade pode ser incerta, mas com Jesus nada é incerto, cara você pode ter muito mais, você pode ser livre pra ser quem você é em Cristo e Ele vai te aceitar dessa forma. Quando você entender a liberdade, você verá que o pecado de nada serve que a ganância de nada adiante e que as identidades criadas por esse mundo não são nada comparada a ser um Príncipe, um Filho, co-herdeiro de Cristo de toda a herança celestial.

ACEITE A LIBERDADE, ACEITE A VIDA, 
ACEITE A VERDADE, ACEITE O CAMINHO, ACEITE JESUS.


Atenciosamente um Ex-Ninguém


BREVE: PODCAST





0 comentários:

Sua opinião é extremamente importante, Comente!