Celibato e Solteirice || Fala Garota

01:03 Any Olliver 0 Comments


Hoje, como já prometido a um tempo, trago um assunto como foco, o Celibato e a fase da solteirice.
A passagem do tempo e as mudanças do mesmo, não diminuem suas importâncias. Principalmente no meio feminino cristão.
Começando pelo o celibato, há alguns que o vivem voluntariamente, outros involuntariamente, por indicação médica, ou questão sentimental, de raciocínio, solidão, saúde... São vários os motivos de alguém o viver.
Celibato vem do latim cælibatus que significa: "sem estar casado". Ele é o estado do homem ou da mulher que vivem, espontaneamente, em solidão conjugal, sem se casar.
De fato para as que não possuem o conhecimentos a respeito dele, é exatamente isso. É o tempo de solteiro de um homem ou mulher onde se pratica abstinência sexual de forma voluntária. Mas seu significado é muito mais profundo para uma moça que segue com fé em Cristo, vai além do tempo pré-casamento. O celibato pode ser vivido pela vida toda, como as Escrituras afirmam que há algumas pessoas que nascem com o dom de viverem dessa forma; apenas em prol do Reino de Deus sem certas satisfações carnais. (Mateus 19:12) Pode também ser vivido temporariamente durante um relacionamento ou não, com intuito de se achegar mais a Deus (1 Coríntios 7:5) ou por um período (como trataremos melhor aqui) no tempo de solteiro de um jovem ou mulher.
Da perspectiva cristã o celibato é algo incentivado. Não é algo torturante ou um tempo que se vive por pura obrigação ou falta de opção, diferente de outras filosofias religiosas que o veem como algo ruim, e da mesma forma enxergam a solteirice como algo que deve passar rápido para que o homem chegue ao seu ideal, sua plenitude de vida; o casamento. Deus de fato demonstra que a família está em seus planos e que a o solidão conjugal "eternamente", não é boa para o homem. (Gêneses 2:18) mas isso não quer dizer que o celibato permanente ou temporário na fase de solteirice, não seja bom ou não esteja em seus planos.
O problema é que essa forma errônea de pensar é constante na mente das moças da atualidade. O celibato temporário é infelizmente visto como algo geralmente vivido por obrigação, algo que acaba causando mais ansiedade na solteirice principalmente.
A fase de solteiro do mesmo modo errôneo, é entendida como algo para ser passado logo, um tempo onde só traz tristeza e solidão, um tempo onde nada de bom pode fluir. Cada vez mais meninas imploram em orações para que a tal fase passe logo, para que o tão sonhado par, lar, família e demais planos se realizem, ou abandonam lamentavelmente suas castidades em busca de uma união estável fora do tempo adequável.
Mas ela deveria ser vista como uma benção. Um tempo onde você pode ser você mesma até se formar em quem você deve ser.
Um tempo onde uma moça cristã pode ser uma menina de fato, não se preocupando com responsabilidade de um matrimônio ou de uma família. Um tempo onde mais de si pode e deve ser doado, onde seus pensamentos podem estar focados em causas, onde os estudos, o trabalho, parentes e amigos recebem mais atenção. Uma fase de deleite, ainda que sua vida não seja tão fácil (Afinal de contas não somos feitas de açúcar nem temos ao lado um Deus que é, portanto não necessitamos de uma vida com apenas sol) E o mais importante de tudo: O celibato quando adotado nesta fase se torna um tempo onde Deus e o Reino recebem toda atenção. Onde a união de Deus e sua filha é feita, onde seu compromisso é selado e as experiências são vividas tornando-se histórias de vida.
O Apóstolo Paulo recomenda o celibato aos cristãos exatamente por isso. Veja o que ele diz em 1 Coríntios, capítulo 7 a respeito dele:
"É bom para um homem não ter relações sexuais com uma mulher. Mas, devido à tentação de imoralidade sexual, cada homem deve ter a sua própria mulher e cada mulher seu próprio marido.
Eu desejo que todos sejam como eu sou. Mas cada um tem o seu próprio dom de Deus, um de uma espécie e uma de outro. Para os solteiros e as viúvas digo que é bom para eles permanecer como eu sou. Mas se eles não podem exercer auto-controle, devem casar. Por isso é melhor casar do que queimar com paixão.
Quero que você seja livre de medos. Solteiro o homem está preocupado com as coisas do Senhor, a forma de agradar ao Senhor. Porém, o homem casado está preocupado com as coisas mundanas, como agradar à sua esposa, e seus interesses estão divididos. E a mulher solteira está preocupada com as coisas do Senhor, como ser santa no corpo e espírito. Mas a mulher casada está preocupada com as coisas mundanas, como para agradar o marido. Digo isto para seu próprio benefício, para não estabelecer qualquer restrição sobre você, mas para promover a boa ordem e para garantir o seu indiviso devoção ao Senhor."
(Versos 1, 2, 7, 9, 32 e 35)
Como se vê o Celibato não é uma tortura, não é uma obrigação e não pode ser visto como tal, mas sim uma oportunidade de viver mais intimamente com Deus. Ele não é o correto e o matrimônio ou o ato sexual dentro dos padrões de Deus; o errado. É necessário o entendimento sobre o assunto. Pois ele só é aceitável e se torna uma benção quando é recebido e vivido de livre e espontânea vontade.
E todos podem o viver, desde que sintam em seu coração o chamado, seja para a vida toda ou por um período. Pois recebe assim a capacidade para permanecer nele.
As pessoas não nascem casadas ou namorando, porque apesar de importante, o matrimônio não é primeiro a chegar na vida.
O celibato deve ser notado com mais frequência e desejado também. Faz tão bem quando é desejado, recebido e apreciado, vivido para se obter comunhão divina, para se ser uma com Deus, antes de ser metade com alguém. Quando o tempo vivido nele é distribuído para boas obras, obras maiores, além dos assuntos carnais, sem tantos choros ou dores de cabeça por causas amorosas.
Um tempo onde se torna forte e honrada. Onde as lutas contra as paixões, desejos carnais ou imoralidades sexuais são travadas e vencidas, restando apenas uma mulher purificada para um matrimônio puro e forte. Então, é perfeitamente saudável e enriquecedor viver o celibato seja temporário, ou durante uma vida toda como em alguns casos. Pois os envolvimentos carnais ou as paixões e satisfações da natureza humana nos prendem de certa forma no plano carnal, nos privam de uma vida de mais intimidade e intensidade com o Eterno.
É por entender tudo isso que existe tantas mulheres cristãs solteiras e felizes, realizadas e aprimoradas.
E por citar a solteirice novamente; ela também não é apenas algo para desfrutar. É um tempo preparatório.
Atualmente estou à procura de um curso de conteúdo rico para um aprimoramento em minha área de atuação espiritual e profissional; a arte. É curioso como nos sentimos de certas forma seguros, com um estudo e como adquirimos entendimento com ele, ou como um diploma em mãos contribui muito para nossa atuação. Da mesma forma o tempo de solteira é um tempo que nos serve como aprendizado, onde Deus estabelece sua escola. Onde molda o caráter de uma menina para ser mulher, onde Ele ensina e ela aprende na teoria e na prática, seja com uns escorregões aqui e ali; como é ser uma mulher de Deus, pautada em sua Palavra para ser coluna de sua futura casa.
Milhares de moças não fazem noção do real significado de lar, de filhos ou matrimônio. Não fazem idéia de como a fase de solteirice não é um problema mas uma benção.
Ter essa convicção é extremamente importante e enriquecedor a uma moça. E também para o rapaz moldado para ela, pois os planos do Senhor vão sempre além. Existe entre os sábios e velhos conselhos maternos ou de mulheres mais vividas que querem as mais novas bem, um conselho dito sempre aos ouvidos que; na escolha do moço ideal para o casamento, deveria se prestar atenção na forma que ele age quando solteiro. Seus planos e forma de pensar, suas manias e principalmente a forma de Como ele trata sua mãe e mulheres de sua família, pois da mesma forma agiria com sua futura esposa e família. E isso possui um fundo de verdade! O mesmo é para com o tempo de solteirice feminina. É conhecendo a senhorita que ele — o perfeito, o ideal, moldado para ser o par — conhecerá sua senhora.
Da mesma forma que a infância não retorna e quando ela é maculada traz seqüelas para as próximas fases; a fase de solteira também não retorna e não deve ser maculada. É necessário que tal fase seja enxergada, agradecida a Deus ao decorrer dos dias e desfrutada, apesar de tudo que se sente ou que se viva atualmente.
A frase: “O que é seu encontrará o caminho até você” é mesmo verdadeira. Sua veracidade se apoia nas palavras de Cristo: “Creia em Deus e também em mim.” (João 14:1)
Deus as abençõe e as ajude a enxergar as verdades transformadoras que envolvem o celibato e a solteirice; na vida de uma moça cristã.

0 comentários:

Sua opinião é extremamente importante, Comente!